Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘um pouco do que desejamos’ Category

Ela canta, com cores quentes nos lábios,
o silêncio que guia meus sonhos.
Cria asas e movimentos para delimitar a realidade.
E assim separa o meu pensamento
em pedaços que não preciso definir…

Ela dança, com calor colorido nas pernas,
o movimento que guia meus planos.
Cria raízes e pensamentos para delimitar a realidade.
E assim unifica o meu movimento
em pedaços que não recuso sentir…

E volta, como passageiros de ponte aérea,
depois de inverter os tons das tintas ao meu redor,
sumindo naquele lapso de realidade antes das
quatro da manhã…

E some, como pedreiros de ponte térrea,
depois de derreter as notas das músicas ao meu redor,
existindo naquele lapso de sonho depois das
quatro da manhã…

ilustração: Jairo Souza
http://www.behance.net/anemarts
http://www.artstation.com/artist/anemarts
http://www.anemarts.wordpress.com

Anúncios

Read Full Post »

Minha memória é de espelho retrovisor embassado de fumaça da neblina de paz da noite que chega. Espelho|ohlepsE me faz lembrar pedaços perigosos deste caminho que estou seguindo a algum tempo, entre curvas aventureiras do meu cotidiano e retas em alta velocidade de quem valoriza mais a viagem que o destino de tuas rotas.

Minha memória é vermelha rústica de móveis coloniais dos mistérios dos ministérios das artes de quem pouco se importa. Vermelha do calor do seu sangue nos meus sonhos, dos movimentos dos teus lábios nos meus encontros, entre outros tons de você que se configura nestes destinos de minhas rotas.

Take Off Your Panties

Take Off Your Panties

Read Full Post »

As chuvas preguiçosas de pouco peso caminhariam comigo no cotidiano para economizar a desnecessária gasolina do fusca, no ir e vir das minhas aventuras, das poucas loucuras. Talvez iriam aparecer mais verdades ao redor. Mais sentidos aos sentidos, mais força na respiração, mais calor dos amigos, menos peso no coração.

Os pensamentos errantes de mudança seriam os guias dos pensamentos que me fazem enfrentar as filas dos bancos para pagar as contas, vez e vez, de quem quase não quer perceber que o tempo passa e não se pode voltar pra perceber. O juros das contas esquecidas vivem, mas o arrependimento dos contos inexistentes não. É como que se o importante fosse contar depois, e não viver? Nada… nada. O que minha comunidade de neurônios intensifica nas conexões é aquele desejo de viagem, e não de destino.

Pode até ser que adiante muito chegar lá de qualquer jeito e olhar pro passado, no ombro do orgulho, e contar com doce nos lábios os anos que se passaram…. Mas o que parece realmente adiantar ser é a lembrança de que, de quase tanta falta de juízo, esquecer de quase tudo que se passou na sorte de sorrir intensamente ao lembrar dos detalhes que ainda sobrevivem na mente…

Read Full Post »

Por aqui os minutos vão passando bem… Energias que brotam de uma força de vontade sincera em trabalhar os cantos deste novo 2013 para que, nas areias tranquilas do litoral sul paulista, na virada do ano, as lembranças deste presente se transforme numa nova criatividade chamada novo ano.

A vida é a mesma, apesar da renovação de diversas células de meus sobrenomes, e canta em tons de mudança em todos os sentidos naturais de meu corpo.

Novos e velhos pensamentos na conclusão desta segunda-feira com cara de dia mundial da paz para começar bem. De momento em momento, um sentimento em forma de fermento para aumentar a paz dentro deste bolo de planos e sonhos.

E assim um livro vai se alimentando de letras e palavras calmas para daqui umas décadas se completar com um título preguiçoso destas biografias de todos nós. Cada momento vai se alimentando dos amarelos de sabedoria nas páginas velhas que ainda nem foram impressas.

Read Full Post »

…teria admirado um pouco mais aquele olhar decidido numa noite de sábado. Como tatuagem, eternizando a direção da luz. Minutos de silêncio interrompidos por gargalhadas de uma noite longa tentavam me ensinar por completo a tradução de cada tom. Cores de Almodovar! Tive certeza de poucas coisas, boas e simples. Boa parte do meu universo estava se deparando com um astro que, ao passar pelas fronteiras, deixavam as guaritas de defesa silênciosas por não saber ao certo o que fazer… Uma dúvida que poderia quebrar belas harmonias mas, por uma boa sorte do meu destino, a harmonia estava apenas começando.

…escolheria sem nenhuma sombra de dúvida aquele momento como o melhor do ano. Pausa. Pausa. Pausa e mais pausa. Na frente de meu rosto estava todos os bons sentidos da vida num instante rápido (e preguiçoso) que se demorou a entender. Era a invenção de um novo tom. Um novo sobretom.
Tinha milhões de motivos para deixar um sorriso verdadeiro escapar, mas não saberia nunca dizer o porquê. E quase que como um espelho, um sorriso dela também escapou, tentando desenhar novamente o futuro com outras cores.

…não seria muito diferente. Se eu soubesse antes o final, re-começaria, quase que exatamente igual.

Read Full Post »

a volta, o reencontro.

o novo instante que me guia, vem da pura sintonia, o olhar imaginado na busca de um futuro melhor que o passado, não por frescura ou arrependimento, mas pela busca de um novo belo momento. a equivalência estampada na diferença, a lei dos opostos na luta pela sobrevivência, cada detalhe de tua história é combustivel para meus dias de glória.

a volta, o tempo.

o hoje “imensidado” de saudade, o minuto vivido com vontade, a presença de uma chance, peças fundamentais para o próximo lance. vejo nas nuvens inigualáveis de meus sonhos a verdade mais próxima daquilo o que somos. vejo um hoje parado no passado enterrado, enfeitado com o que houve de melhor, cada vez mais na chance de uma distância menor.

[foto por: RitmoEye]

a volta, a vida.

a dança da eternidade saboreia o sabor da amizade. sei dos erros, sei da preguiça, posso errar teus desejos pra acertar a vida. sei da luta, sei da guarra, sei do desapego, sei da falha… e sei imaginar saber o que pode vir a acontecer… o perfume do último beijo ainda encanta detalhes que vejo… o tom da última palavra ilumina de volta a minha caminhada…

Read Full Post »

a imaginação de um futuro é livre….
é amiga do drum´nd bass alto nos falantes
é do jeito que melhor se encaixar na mente…
(just fit…. just fit)
e fica…. assim, confortável sob um gole de long neck,
preguiçosa sobre o fim da segunda-feira

defeitos

desenhando sua presença cheia de defeitos por perto
dos defeitos amarelos, trazendo as tonalidades que faltavam por aqui….
defeitos da sombra de um quase sorriso
da amizade que teriamos aos domingos
aceitando a paz e o respeito de um clássico interstadual
de um lado o preto o branco e o vermelho
e do outro, a harmonia do azul o branco e o preto….
defeitos de hollywood, defeitos viciantes….
eu sou o lado de cá, no nada que depois de 8 minutos nem defeito mais é….
mas num instante, a revolução da minha cara,
a verdade estampada
numa palavra meio que assim…. defeituosamente desarrumada….
prazer!

Read Full Post »

Older Posts »